Oportunismo

Conforme postei ontem, quero antes de indicar os candidatos que acredito, falar sobre uma das características mais execráveis na política, a fim de causar reflexão nos amigos sobre quem não votar: OPORTUNISMO.

Fui buscar no dicionário Michaelis a definição de oportunismo e me deparei com o seguinte texto:

1 Habilidade em aproveitar os fatos ou circunstâncias para obter algo.

2 PEJ Prática de conduta adotada por indivíduo que, visando poder e vantagens, acomoda-se ou aproveita-se dos fatos e circunstâncias, sacrificando princípios morais.

3 POR EXT, PEJ Procedimento ou conduta de quem, para vencer rapidamente na vida, faz uso de métodos desleais e inescrupulosos; carreirismo.

Ao longo dos anos pude ver muito político oportunista, são aqueles que mudam de lado conforme a conveniência do momento, não têm coerência ideológica, ou seja, apoiam e defendem, sem dor alguma à consciência desde que a vantagem que deseja seja obtida da maneira mais rápida possível, às vezes até de maneira inescrupulosa.

Não faltam exemplos, sem citar nomes:

– Há quem disse subir no palanque com o Diabo pra ganhar eleição;

– Há quem já foi PSDB, foi pro PT, voltou pro PSDB, foi pra outro partido…

– Há quem abandone os amigos na hora difícil;

– Há quem esconde com quem esteve ao lado, mas exibe as benesses como se fosse resultado de seu trabalho individual;

– Pior, há quem use o trabalho dos outros e diz que foi resultado do seu trabalho.

Tenho certeza que a carapuça serviu em muita gente. Não vote em candidatos oportunistas.

2 comentários On Oportunismo

  • Perfeito. Cachorros que servem a vários senhores para no fundo servirem a si mesmos.

  • A escolha do candidato deve ser feito com base em 2 pilares: Conhecer a vida pregressa do candidato significa procurar saber se ele desenvolveu competências que são capazes de lhe dar condições de exercer o cargo pretendido. Um candidato pode ser um pai muito valorozo, um devoto fiel, mas se for incapaz de estabelecer diálogo, dificilmente será um bom vereador, por exemplo. o dialogo entre instituições e opositores é indispensável a solução dos conflitos que surgem nos municípios. Porque um governador não faz o mesmo com seus funcionários? O segundo pilar é avaliar as propostas. Ha candidatos que propõem o que não podem cumprir porque não são atividades do cargo ao que concorrem. Se o candidato faz esse tipo de promessa, temos que desconfiar. Devemos procurar saber mais sobre o candidato para não nos arrependermos.

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.

Site Footer